Mulher mata o filho e tenta suicídio em São Vicente

A dona de casa Kely Lúcia dos Santos Andrade, de 29 anos, confessou ter matado o filho, de sete anos, na madrugada de domingo, em sua residência, no Parque das Bandeiras, em São Vicente. Segundo a polícia, ela deu altas doses de tranqüilizantes ao garoto, que ainda teve os pulsos e partes do corpo cortadas com uma lâmina de barbear. Em seguida, Kely também tomou os medicamentos. Ela foi socorrida no pronto-socorro do bairro, onde o caso despertou a atenção dos médicos, que chamaram imediatamente a Polícia.Em depoimento prestado à delegada Samanta Conti, a acusada confessou que o crime foi planejado há uma semana, quando adquiriu os remédios e a lâmina de barbear. Ela revelou que está com aids e não queria ver o filho sofrer sem a sua presença, uma vez que o marido não dava a devida atenção à criança. Conforme contou aos policiais, Kely fez o garoto tomar cinquenta comprimidos de tranqüilizantes no sábado.O menino permaneceu desacordado durante boa parte do dia. Ao vê-lo desmaiado e sem ter a certeza de que ele tinha morrido, ela resolveu cortar os pulsos e outras partes do corpo da criança, no decorrer da noite. Em seguida, tomou cinco cartelas do remédio e também se cortou, acordando no dia seguinte no Pronto-Socorro. Extremamente fria, ao constatar que o filho não teve condições de ser salvo, ela disse: "Foi melhor ele sofrer um pouco agora do que passar o resto da vida sofrendo. Sei que agora ele está bem".Kely negou o uso de drogas ou de bebidas, mas contou à delegada que já fez tratamento contra a depressão em São Paulo.

Agencia Estado,

01 de abril de 2002 | 18h06

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.