Mulher morre depois de pacto para tomar veneno de rato

A técnica judiciária Maria Aparecida morreu após fazer um pacto com o namorado, Cléber Ferreira Gusmão Ferraz, de 37 anos, que conheceu pelo site de relacionamentos Orkut, no Rio de Janeiro, segundo informações da GloboNews. O estelionatário usava o site para atrair mulheres. Os dois iriam tomar juntos veneno para matar ratos, mas só ela ingeriu o produto.Cléber é casado e pai de dois filhos; porém, Maria Aparecida não foi sua única vítima. Ele já havia aplicado o golpe em outras duas mulheres. Uma delas sofreu um enfarte e morreu ao verificar o valor das dívidas que contraiu para pagar gastos com Cléber.Durante o relacionamento, Maria Aparecida comprou um carro financiado para o namorado e vendeu uma quitinete e um apartamento de dois quartos para pagar dívidas de gastos feitos com ele. Segundo a polícia, em fevereiro, Cléber foi preso vestido com um uniforme da Polícia Militar.Maria Aparecida estava com o namorado e descobriu que ele não era da PM. Ainda assim, o golpista conseguiu convencê-la de que a amava; naquele momento, os dois fizeram o pacto de morte. Cléber foi preso e será indiciado por auxílio e instigação ao suicídio; ele pode ser condenado a até seis anos de prisão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.