Mulher morre em ataque a bomba na Grande Curitiba

Polícia suspeita em acerto de contas, já que família da vítima teria envolvimento com drogas

Solange Spigliatti, estadao.com.br

05 de março de 2009 | 13h51

Uma mulher, de 48 anos, morreu e duas ficaram gravemente feridas após a explosão de uma bomba, na madrugada desta quinta-feira, 5, no município de Rio Branco do Sul, região metropolitana de Curitiba. De acordo com a Polícia Militar, por volta das 4h30, quatro suspeitos chegaram em um veículo Astra, e atiraram um artefato, que inicialmente seria uma banana de dinamite, para dentro da residência, localizada à Rua Manoel Bandeira, no Jardim Papanduva.

 

Rute Cordeiro Vidal morreu e seus dois filhos ficaram levemente feridos. O marido de Rute, Valdimir Martins Vidal, de 48 anos, não foi ferido. As crianças, segundo a PM, foram levadas para o pronto-socorro local. Segundo o delegado de Rio Branco do Sul, Kleudson Tavares, a principal suspeita da motivação do crime é ligação com tráfico de drogas.

 

De acordo com a Agência Estadual de Notícias, do governo do Paraná, eles teriam dado tiros na janela do quarto de casal e, em seguida, jogado na garagem da residência um artefato explosivo, que atingiu cozinha, garagem e outro quarto.

 

A suspeita da polícia de que o crime tenha sido cometido devido a acerto de contas se deve ao fato que a família de Valdimir já teve envolvimento com drogas e os cinco irmãos do proprietário da casa atingida foram assassinados nos últimos anos. Além disso, Valdimir já cumpriu pena por homicídio e latrocínio (roubo seguido de morte).

 

O veículo utilizado pelos quatro homens foi encontrado nesta manhã, pela polícia, no Bairro Alto, em Curitiba. De acordo com o delegado Tavares, ele teria sido roubado de madrugada, antes do crime, e o proprietário do automóvel deixado na cidade de Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.