Mulher morre soterrada por conta da chuva no Rio de Janeiro

A dona de casa Marlene de Lourdes Coelho Vieira, de 55 anos, morreu soterrada na terça-feira, após deslizamento de terra em Petrópolis, na região serrana do Rio de Janeiro. De acordo com a Defesa Civil, ela é a 28ª vítima das chuvas desde o início de 2007 no Estado, que tem 7,9 mil desabrigados e 12,3 mil desalojados.Em Minas Gerais, um casal de aposentados morreu soterrado por barranco que desmoronou com temporal, no Estado, desde outubro de 2006, 102 municípios já decretaram estado de emergência e 23 pessoas morreram, sendo seis delas em janeiro. Mais de 260 mil pessoas foram prejudicadas pelos alagamentos e deslizamentos. A região mais atingida foi a Zona da Mata mineira. Em Petrópolis, a casa de Marlene foi atingida no início da madrugada. Um barranco, nos fundos da casa, cedeu por causa da chuva, invadiu o quintal e chegou até o quarto. Ela estava deitada na cama e ficou soterrada por 15 minutos. O marido sobreviveu porque tinha ouvido um barulho do lado de fora e levantou-se para conferir. Houve deslizamentos em seis bairros de Petrópolis e outros municípios da região foram atingidos. Em Teresópolis, ocorreram dois deslizamentos. Estradas da região ficaram com o acesso dificultado pela queda de barreiras. A RJ-148, que liga Nova Friburgo a Sumidouro, permanecia interditada.A Secretaria Nacional de Defesa Civil aguardava na terça-feira a chegada avaliação dos danos causados pelas chuvas para que a Caixa Econômica Federal libere os R$ 25 milhões prometidos pelo governo federal. Vinte e sete municípios decretaram situação de emergência no Rio de Janeiro.LamaO presidente da Companhia Estadual de Água e Esgoto do Rio (Cedae), Wagner Victer, informou que a Justiça determinou na terça-feira que a mineradora Rio Pomba Cataguases, de onde vazaram 2 bilhões de litros de lama atingindo cinco municípios fluminenses, inicie as obras de reforço e contenção de barragens em até cinco dias sob pena de multa diária de R$ 50 mil. "É o primeiro passo no sentido de se punir os responsáveis por essa catástrofe", disse ele.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.