Mulher paga R$ 300,00 para evitar estupro

O servente de pedreiro Egivaldo Freire da Silva, de 24 anos, foi preso por um crime incomum. Depois de ter trabalhado numa casa da Vila Nipônica, zona sudoeste da cidade, ele voltou na quinta-feira, 16, para recolher alguns materiais. Mas, ao sair, dominou a dona da casa - uma mulher de 37 anos cuja identidade não foi divulgada - levando-a para um dos quartos e ameaçando estuprá-la. A vítima reagiu e conseguiu fazê-lo desistir do estupro mediante o pagamento de R$ 300, em cheque.Egivaldo recebeu o pagamento, manteve a mulher presa no quarto e fugiu. Minutos depois, alertados pelos gritos de socorro, vizinhos soltaram a vítima e a encaminharam ao pronto socorro para cuidar de hematomas e arranhões sofridos no rosto e nos braços. Ao mesmo tempo a polícia foi informada do crime e da identidade do agressor, passando a procurá-lo.O ataque deu-se por volta das 16 horas e, ao anoitecer, policiais militares encontraram Egivaldo nas proximidades de sua casa, na Vila Dutra, distante alguns quilômetros do local do crime. Com ele ainda foi encontrado o cheque emitido pela vítima, que foi apreendido e constitui a maior prova contra o servente de pedreiro.Ele foi indiciado por tentativa de estupro, cuja pena vai de 6 a 10 anos e extorsão, punível com 4 a 10 anos de prisão. Foi recolhido à cadeia de Avaí, distante 30 quilômetros de Bauru, que recebe os presos de flagrante e correcionais de toda a região.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.