Mulher perde tudo no bingo e apanha de seguranças

Ansiosa por multiplicar os R$ 550,00, que trazia consigo, a ajudante de cozinha desempregada Francisca Cruz Pimenta, de 39 anos, resolveu arriscar a sorte no Bingo 56, no centro de Osasco. Passou quase 12 horas jogando em máquinas caça-níqueis e perdeu tudo. Como não tinha mais com que jogar foi expulsa do local por seguranças da casa, que a agrediram. Com arranhões na face, nos braços e hematoma na perna, provocado por um chute, ela registrou queixa no 1º DP local. O desespero de Francisca é que essa quantia não lhe pertencia. Era a soma do vale so mês e metade do 13º salário de seu companheiro, o cobrador de ônibus Sérgio José Eugênio, de 36 anos, com que vive há 14 anos e têm um filho de 10. Segundo Francisca, ela conseguiu um terreno num local chamado "área livre", e precisava de R$ 1.380,00 para pagar o material de construção encomendado. Ao sair para trabalhar, Sérgio entregou-se o dinheiro para que pagasse uma conta de R$ 52,00 nas Casas Bahia e depositasse o restante na conta corrente dele, no Bradesco. "Achei que poderia multiplicar aquele dinheiro e fui ao bingo", explica. O delegado, depois de instaurar o inquérito, aencaminhou ao IML para exame de corpos de delito. Resta-lhe seguir os conselhos do delegado para que contrate um advogado e acione a casa e, esperançosa, Francisca coclui: "Quem sabe eu consiga recuperar o dinheiro que eu perdi. Pra construir minha casa, acho que vou ao programa do Gugu".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.