Mulher que acordou no IML morre em Alagoas

Divaci Cordeiro dos Santos, de 60 anos, foi dada como morta, mas manteve sinais vitais e voltou à internação, até ser vítima de AVC

Julia Baptista, do estadão.com.br

17 de junho de 2010 | 19h40

SÃO PAULO - A mulher dada como morta e que acordou no Instituto Médico Legal de Alagoas Estácio de Lima, em Maceió, na manhã de ontem, Divaci Cordeiro dos Santos, de 60 anos, morreu na madrugada de hoje vítima de um Acidente Vascular Cerebral (AVC). Ela estava internada no Hospital Geral do Estado.

 

De acordo com o legista e diretor do Instituto Médico Legal de Alagoas, Gerson Odilon, Divaci pode ter sofrido uma catalepsia, distúrbio que impede o paciente de se movimentar, apesar de manter os sinais vitais e os sentidos funcionando. Segundo Odilon, é um caso raro, mas que pode acontecer, deixando a pessoa em estado de morte aparente.

 

Segundo ele, nesse processo há um comprometimento de origem neurológica, no qual os batimentos cardíacos e respiratório persistem, mas não são percebidos. Isso pode ocorrer devido a um surto psicótico ou esquizofrênico, ao alcoolismo e até mesmo a um AVC.

Tudo o que sabemos sobre:
IMLAlagoasMaceiócatalepsia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.