Mulher que acusa Bope não foi estuprada

O exame de corpo de delito na jovem de 21 anos que acusa um policial do Batalhão de Operações Especiais (Bope) de estupro não apontou vestígios de relação sexual recente nem de violência. Apesar do resultado, o diretor de Polícia do Rio, Ronaldo Oliveira, continuará investigando se o crime ocorreu durante megaoperação da Polícia Militar no Morro da Mangueira (zona norte), na quarta-feira. A mulher é ex-companheira de um traficante conhecido como Quinho, com quem tem dois filhos. Ela disse que foi estuprada durante revista em sua casa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.