Mulher que mandou matar o pai após sofrer abuso é absolvida no Recife

Ela sofreu abusos desde os 9 anos de idade e teve 12 filhos com pai, assassinado em 2005

Ângela Lacerda, O Estado de S. Paulo

25 Agosto 2011 | 14h17

RECIFE - Severina Maria da Silva, de 44 anos, acusada pelo assassinato do pai, foi absolvida por unanimidade nesta quinta-feira, 25, no julgamento encerrado há pouco no Fórum Thomaz de Aquino, no Recife. Ela contratou dois homens para matar o pai no dia 15 de novembro de 2005. Severina sofria abuso sexual desde os 9 anos de idade e teve 12 filhos com o pai, Severino Pedro de Andrade.

 

Dos filhos que teve com o pai, na zona rural de Caruaru, no agreste pernambucano, sete morreram. Os cinco que sobreviveram, com idade entre 12 e 19 anos, assistiram ao julgamento. Segundo ela, a decisão de matar o pai se deu após ele tentar estuprar uma das filhas, na época com 11 anos. Severina chegou a ser presa por um ano e seis dias, mas foi liberada e aguardou o julgamento em liberdade.

 

A advogada de defesa, Pollyana Queiroz, comemorou a decisão. "A Justiça foi feita". Nem mesmo o promotor José Edivaldo da Silva pediu a condenação da ré. "Não se podia exigir dela outra conduta, embora que trágica". Severina agradeceu a todos que a ajudaram. "Deus me deu liberdade para cuidar dos meus filhos". Ela disse já ter se perdoado e também ao pai.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.