Mulher se mata após manter o filho como refém

A comerciante Ana Lúcia Souza, de 29 anos, que manteve o filho de 8 anos refém por mais de oito horas, em Osasco, na Grande São Paulo, morreu, no início da noite, no hospital Antônio Giglio, após dar um tiro no peito. Depois de várias horas de negociação com a polícia, ela decidiu libertar o filho. Pouco tempo depois ela atirou contra o peito.A mulher teria se descontrolado após uma briga com o suposto amante, João Pacheco Filho, hoje pela manhã. O filho de Ana Lúcia de Souza passa bem e será encaminhado à Vara da Infância e Juventude da cidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.