Mulher sequestrada há 17 dias é libertada no litoral paulista

A professora aposentada Lígia Terra Bento, de 65 anos, mulher de um importante executivo do Grupo Votorantim, sequestrada no dia 21 de agosto em casa, no município de Alumínio, interior paulista, foi libertada na madrugada de hoje em Itanhaém, no litoral sul. A família negociou com os sequestradores e pagou o resgate, mas o valor não foi revelado. Segundo informações não confirmadas pela polícia, eles teriam pedido R$ 2 milhões como resgate, mas depois baixaram o valor.O marido de Lígia, o engenheiro Valentino José Bento, é gerente de manutenção da Companhia Brasileira de Alumínio (CBA) e homem de confiança do empresário Antonio Ermírio de Moraes, presidente do grupo.Na noite em que ocorreu o sequestro, a casa da família foi invadida por três homens que teriam chegado em um carro escuro. O casal foi rendido. Valentino foi amarrado e deixado na casa, enquanto a mulher era levada pelos sequestradores. A família pediu à polícia para manter a imprensa afastada do caso. Os autores do sequestro fizeram vários contatos com a família.Segundo a polícia, Lígia trocou de cativeiro durante os 17 dias em que ficou com os bandidos. Assim que foi libertada, a mulher pediu ajuda de moradores que chamaram a polícia. Ela estava com a saúde abalada e foi submetida a cuidados médicos. Até o começo da tarde, nenhum dos sequestradores tinha sido preso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.