Mulher simula o próprio seqüestro em Mauá

Uma mulher foi presa hoje à tarde após simular seu próprio seqüestro em Mauá, na região do ABC paulista. Segundo informações da Secretaria de Segurança Pública, Rosana Cecílio Garcia, de 37 anos, deixou a empresa RFM Indústria e Comércio LTDA, em que é sócia de seu marido Milton Garcia Júnior, por volta das 09h30 desta quarta-feira, em uma caminhonete Chevy, quando foi abordada por um rapaz que dirigia um Fusca na cor verde, no bairro Capuava, em Mauá.Por volta das 10 horas, o suposto seqüestrador usou o celular de Rosana e avisou ao marido dela o local onde veículo tinha sido abandonado. Milton Garcia Júnior acionou a polícia e depois de algumas horas recebeu outra ligação, desta vez feita de um telefone público, em que o seqüestrador exigia R$ 30 mil para libertar sua esposa.Investigadores da Dise de Santo André começaram a rastrear o local de onde foi feita a ligação e se espalharam pela região. Por volta das 17 horas, eles abordaram Fernando Faria, de 32 anos, que já tem passagem pela polícia por estupro, formação de quadrilha e furto. Ele se entregou sem reagir e confessou que, juntamente com Rosana, tinha planejado o seqüestro dela no domingo passado. Ele afirmou que Roseli Cecílio, irmã de Rosana, também sabia do caso. Faria levou os policiais até sua casa, em Mauá (o endereço não foi divulgado) e Rosana foi encontrada debaixo da cama, sem amarras e sozinha. Ela confessou seu envolvimento e explicou que o dinheiro do resgate do suposto seqüestro seria usado para pagar dívidas e a cirurgia de sua mãe.De acordo com a Secretaria de Segurança Pública, Rosana e Fernando já se conheciam há algum tempo porque trabalharam juntos. Inclusive Fernando chegou a freqüentar a casa de Rosana. A polícia suspeita que os dois tinham um caso amoroso, mas eles negaram. O marido de Rosana já tinha conseguido R$ 7 mil para pagar parte do resgate. Milton e Rosana têm uma filha de 16 anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.