Hélvio Romero/Estadão
Hélvio Romero/Estadão

Mulheres do Distrito Federal são as que têm filhos mais tarde

Capital do País tem maior porcentual de partos de mulheres de 30 a 44 anos

Roberta Pennafort, O Estado de S. Paulo

20 Dezembro 2013 | 10h10

RIO - As brasileiras estão tendo seus filhos cada vez mais tarde, em especial as da capital do País. Pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgada nesta sexta-feira, 20, constatou que caiu a proporção de nascimentos cujas mães eram dos grupos etários mais jovens, enquanto cresceu nos grupos acima de 30 anos, o que corrobora tendência observada em pesquisas anteriores. Mas o porcentual de nascimentos cujas mães tinham até 15 anos de idade permaneceu estável, indo de 0,7% em 2002 para 0,8% em 2012.

A unidade da federação com proporção de mães mais velhas é o Distrito Federal: enquanto a média brasileira de proporção de nascimentos entre mulheres de 30-44 anos é de 30,2%, no DF é 38,3%. Nesse quadro, também se destacam o Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo.

Pará, Maranhão e Alagoas têm as mães mais jovens. As proporções de nascimentos oriundos de mães de até 24 anos, nesses Estados, foi de 57,2%, 56,6% e 52,4%, respectivamente. Apesar das mudanças no comportamento reprodutivo das mulheres no País, em especial entre as que têm maior escolaridade, que postergam o quanto podem a maternidade, na maior parte dos Estados o principal grupo etário das mães é de 20 a 24 anos.

Os dados, de 2012, são da pesquisa Estatísticas do Registro Civil.

Mais conteúdo sobre:
ibgedistrito federal

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.