Mulheres morrem asfixiadas em incêndio em asilo em MG

Três mulheres, duas delas idosas, foram encontradas mortas na manhã desta segunda-feira em um quarto do asilo Lar Nossa Senhora das Graças, na cidade de Poço Fundo, sul de Minas Gerais, a 395 quilômetros de Belo Horizonte. De acordo com perícia da Polícia Civil, tudo indica que as vítimas - Áurea Flausina do Divino, 77 anos, sua filha, Maria Francisca Dias, 50, e Maria Cândida de Jesus Melo, 81 anos - morreram asfixiadas pela fumaça do fogo que atingiu os colchões das camas do quarto em que estavam. O quarto havia sido trancado pelo lado de fora por uma auxiliar de enfermagem que trabalha no asilo. O incêndio ocorreu durante a madrugada, mas os corpos só foram encontrados no início da manhã. A funcionária Renata Gomes contou em depoimento que Maria Francisca fumava cachimbo e sofria de problemas mentais. "Por volta das 2h eu tranquei. Elas estavam dormindo". Ela era a única pessoa de plantão na instituição e afirmou que não ouviu gritos ou percebeu que havia fogo no quarto. Outra funcionária do asilo que preferiu não se identificar disse que a porta do quarto era sempre trancada porque Maria Francisca costumava sofrer "crises" durante a madrugada. Os corpos apresentavam queimaduras e foram levados para a necropsia em Alfenas, também no sul de Minas. Em meio ao material queimado, a perícia policial apreendeu restos do cachimbo. O delegado Thiago Ribeiro informou que também foram encontradas caixas de fósforos no quarto. Um inquérito foi instaurado para apurar as causas dos óbitos e eventuais responsabilidades do asilo, onde são atendidos atualmente 42 idosos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.