Mulheres notáveis

Em 8 de março, comemora-se o Dia Internacional da Mulher, um momento para celebrar as conquistas políticas, sociais e econômicas do sexo feminino desde o doloroso tempo das cavernas, passando pela época dos aventais e a era das polainas na aula de aeróbica.Ao longo da história, foram muitas as mulheres que se destacaram pela audácia e pioneirismo. Algumas permanecem anônimas. Por exemplo, Sandra Luchian, de 15 anos, da Moldávia, que não tinha dinheiro para comprar o livro do Harry Potter e passou as férias do verão de 2005 copiando-o à mão. Ela preencheu cinco cadernos com o texto de 607 páginas, discriminando os diálogos em azul e as narrações em preto, para facilitar a leitura. Ou a americana Leslie Tipton, a pessoa que escapou mais rápido de uma mala fechada. A contorcionista conseguiu sair da bagagem em apenas 13,31 segundos e entrou para o Guinness Book. Há mulheres que carregam imensos fardos na cabeça, mulheres com 11 filhos, mulheres matemáticas, mulheres santas, mulheres fãs de Star Trek e até mulheres barbadas. Há mulheres como a sul-coreana Cha, de 68 anos, que tentou tirar a carteira de motorista 772 vezes, ou a búlgara Daniela Simidchieva, considerada a pessoa mais inteligente do mundo, com um Q.I. de 192, mas que não consegue arrumar emprego. Simidchieva é mãe de três crianças e possui cinco títulos Ph.D.: em Economia, Engenharia Eletrotécnica, Engenharia Industrial, Inglês e Sociologia.Trinta e cinco mulheres já ganharam prêmios Nobel, e mais de 500 foram eleitas prefeitas de cidades brasileiras nas últimas eleições. Há mulheres astronautas, mulheres-bomba, mulheres mecânicas, mulheres gordinhas e mulheres que andam o dia todo de galochas por opção profissional. São do sexo feminino as inventoras do para-brisa, do liquid paper, do filtro de papel, das fraldas descartáveis, da lava-louças e das primeiras lentes de óculos. Também foi uma mulher, lady Mary Montagu, que introduziu no mundo a vacina contra a varíola, e foi a filha de lord Byron a primeira programadora de computadores da história. No caso, Ada Lovelace utilizou seus conhecimentos de matemática avançada para ajudar Charles Babbage, inventor de um artefato analítico que é considerado o primeiro computador. Também uma mulher projetou o primeiro cinto de castidade canino, em 1903, para manter a pureza do pedigree de seus cães. Não podemos nos esquecer da sueca que passou 27 dias com uma aranha dentro da orelha, "grande como a unha de um dedão", e da senhora inglesa que atacou um intruso com seu gnomo de jardim. "Ele ficou estirado no chão e comecei a gritar. Voltei para a cozinha e peguei um rolo de macarrão, caso ele acordasse. Não queria quebrar outro gnomo", disse a heroína. E, por fim, lembremos da sueca idosa que vivia com 11 cisnes em seu apartamento de 25 metros quadrados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.