Mulheres planejam panelaço para apoiar greve da PM em Teresina

As mulheres e os filhos dos militares planejam uma grande manifestação para amanhã, no centro de Teresinha, com panelaço, chamando a atenção para a greve dos policiais militares, que deve começar logo após a assembléia da categoria, marcada para 15h. Os militares reivindicam o salário mínimo como base dos vencimentos. Atualmente a base do pagamento é de R$ 180. Eles alegam estar trabalhando 24 por 24 horas, quando, pela Constituição, deveriam trabalhar 24 e folgar 72 horas. O presidente da Associação dos Cabos e Soldados, Jarbas Cavalcante, chegou a denunciar uma ?escravidão fardada?. Os policiais ainda querem uma alimentação condizente, reclamam que as quentinhas distribuídas pela corporação são de péssima qualidade. O governo sinalizou apenas com um abono de R$ 60, que não foi aceito pela categoria. Amanhã pela manhã, uma comissão do governo estadual vai negociar novamente com os representantes dos militares para tentar debelar a greve no Comando Geral da PM-PI. Segundo a associação, a manifestação das famílias dos militares deve mobilizar cerca 1,5 mil pessoas, entre policiais, parentes e filhos em caminhada pelo centro de Teresina.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.