Mulheres são presas suspeitas de traficar munições para favelas do Rio

As quatros jovens, incluindo duas menores, integravam quatrilha que transportava armamentos do Paraguai

Thaise Constancio, O Estado de S. Paulo

19 Dezembro 2013 | 11h13

Rio - Duas mulheres foram presas e duas menores foram apreendidas por policiais da 21ª DP de Bonsucesso, na zona norte do Rio, suspeitas de integrar uma quadrilha que usava mulheres para transportar munições de fuzil do Paraguai para favelas da capital. Kathleen Priscila Marques Barbosa, 19 anos; Angélica Moreira Chaves, 18; e as menores foram abordadas em ação conjunta com o Grupamento Transportado em Ônibus Urbano (Gptou), na terça-feira, 17. Com elas foram apreendidas quase três mil munições para fuzil calibre 223.

As investigações ainda tentam identificar o líder do grupo, que prefere recrutar adolescentes. Segundo o delegado titular da 21ª DP, José Pedro Costa, o esquema conta com o apoio de funcionários de companhias aéreas e rodoviárias que facilitavam a aquisição de passagens e o embarque das jovens com o material.

De acordo com Costa, toda semana, cerca de seis mulheres fazem o trajeto e recebem R$ 2 mil por entrega. Kathleen e Angélica responderão por corrupção de menores, formação de quadrilha e porte ilegal de munição de uso restrito. As menores foram autuadas por fato análogo aos crimes de formação de quadrilha e porte ilegal de munição de uso restrito.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.