Wilton Júnior
Wilton Júnior

Mulheres seguem acampadas e ES permanece sem policiamento

Liderança feminina contesta acordo alegando não ter participado das negociações

Márcio Dolzan, O Estado de S. Paulo

11 de fevereiro de 2017 | 08h16

As mulheres dos policiais militares seguem acampadas em frente ao Quartel Central da corporação em Vitória, impedindo a saída dos PMs. Assim, o policiamento segue não acontecendo mesmo após o anúncio de acordo entre Governo do Estado e quatro associações da Polícia Militar, realizado no início da noite de sexta-feira, 10.

O acordo previa que os PMs voltariam ao trabalho às 7h da manhã deste sábado, mas o grupo de mulheres permanece diante do portão do batalhão impedindo a saída. Uma fila de carros particulares com PMs fardados se formou na rampa de saída, pelo lado de dentro do batalhão, mas nenhum conseguiu sair.

Na sexta-feira à noite, presidentes da Associação de Cabos e Soldados (Acs), da Associação dos Subtenentes e Sargentos da PM e Bombeiro Militar (Asses), do Clube dos Oficiais e Associação dos Bombeiros Militares (ABM) assinaram documento que previa o fim do movimento a partir das 7 horas de hoje. O major Rogério Fernandes Lima, do Clube dos Oficiais, alegou que as associações estavam com dificuldade de diálogo com as mulheres do movimento.

Após o anúncio, as mulheres dos PMs negaram o acordo. "Esse encontro foi entre as associações de policiais. Mas a paralisação é das mulheres. Nós não participamos dessa negociação. Continuaremos aqui", afirmou uma das lideranças do movimento, que se identifica apenas como Gilmara.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.