Muro de prédio onde está Suzane é pichado novamente

Mais uma vez o muro do prédio onde Suzane Richthofen cumpre prisão domiciliar, no Morumbi, zona sul da capital paulista, foi pichado. O Condomínio Maison Fontainebleau, localizado na altura do nº 340 da Rua Nilza Medeiros Martins, teve o muro de pedra pintado de branco na última quinta-feira após pichadores nele escreverem em preto: "Suzane assassina volta". Nesta madrugada de sábado a frase "Suzane assassina" foi escrita no muro. Beneficiada por uma liminar que a tirou da cadeia, Suzane está em prisão domiciliar no apartamento 13, onde mora o advogado Denivaldo Barni. Os irmãos Daniel e Christian Cravinhos, réus confessos na morte do casal Richthofen, pais de Suzane, não tiveram sucesso na tentativa de obter prisão domiciliar. O Superior Tribunal de Justiça (STJ) entendeu que o pedido dos réus deveria ser analisado em separado, e não como extensão do recurso de Suzane, como queria a defesa deles. O julgamento ocorre na próxima segunda-feira.Sem gravaçõesO julgamento de Suzane e dos irmãos Daniel e Christian Cravinhos, marcado para segunda-feira, 5, não será registrado nem em áudio nem em vídeo pela imprensa. A proibição de transmissão foi determinação do desembargador Damião Cogan, do Tribunal de Justiça de São Paulo, a pedido dos advogados da jovem. Foi ele também que, na quinta-feira, por iniciativa própria, pediu à Presidência do TJ que derrubasse, por via administrativa, a decisão pioneira do juiz do caso, Alberto Anderson Filho, de permitir a transmissão ao vivo do júri. O pedido foi aceito pelo vice-presidente, Caio Canguçu de Almeida.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.