Muro desaba e mata duas meninas na zona leste

Outras três crianças que brincavam perto da obra ficaram feridas; Defesa Civil investiga acidente

Arthur Guimarães, O Estadao de S.Paulo

05 Outubro 2007 | 00h00

Um muro desabou ontem e atingiu cinco crianças que brincavam no local. Duas delas morreram. O acidente ocorreu na Travessa do Beco Sagrado, altura do número 127 da Rua Artur Franco, na Cidade Tiradentes, zona leste da capital. O grupo brincava de escolinha. A mais velha, de 11 anos, seria a professora, e os outros, os aplicados alunos que anotariam as lições passadas num quadro negro improvisado. Até mesmo um bolo foi dividido entre a turma na hora do lanche. Por volta das 17 horas, o muro feito de blocos de concreto - de cerca de três metros - cedeu. Eduarda Rodrigues da Silva, de 3 anos, e Maria Helena Pereira, também de 3, chegaram a ser socorridas, mas não resistiram aos ferimentos e morreram no hospital. Outras três crianças ficaram feridas. As vítimas foram atendidas nos hospitais Cidade Tiradentes e Santa Marcelina, ambos na zona leste. Wellington, de 10 anos, teve um braço quebrado, Yasmim, de 6, feriu a boca. E Letícia, de 5, sofreu escoriações nas pernas e nos braços. Bianca Rodrigues Dias, de 11 anos, irmã de Eduarda, que deveria ter feito o papel da professora na diversão vespertina, contou que a parede desabou de repente. ''''Não vi direito, mas quando olhei tudo já estava no chão''''. Ela disse não saber o que causou o acidente. ARRIMO Até as 23 horas de ontem, técnicos da Defesa Civil não haviam se pronunciado sobre o acidente, pois ainda estavam investigando as possíveis causas da tragédia. Segundo os vizinhos, todos com medo de se identificar, a construção que cedeu serviria como suporte para um outro muro, que era a divisão entre uma casa e outra. Ainda de acordo com eles, a estrutura da construção estava abalada. Os moradores das duas casas geminadas à parede que desmoronou não atenderam aos pedidos de entrevista feitos pelo Jornal da Tarde. O caso foi registrado no 54º Distrito Policial, em Cidade Tiradentes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.