Muro em obras cai sobre casas e mata mãe e filho

Outras duas pessoas foram resgatadas dos escombros com vida; de acordo com a Subprefeitura de Cidade Ademar, construção era irregular

Marcela Spinosa, O Estadao de S.Paulo

07 de abril de 2009 | 00h00

A queda de um muro em obras sobre dois barracos na comunidade do Abacateiro, no bairro Pedreira, na zona sul de São Paulo, provocou a morte da diarista Efigênia Vitoriano dos Santos, de 64 anos, e de um dos filhos dela, o catador Geraldo Monico Vitoriano, de 33, na madrugada de ontem. Outros dois filhos da diarista ficaram feridos, mas passam bem. Segundo a Subprefeitura de Cidade Ademar, a movimentação de terra provocada pela construção do muro, somada à chuva, teria causado o acidente. A obra para reforço da estrutura do muro, iniciada na sexta-feira, era irregular. A construção foi embargada e o proprietário do lote, multado em R$ 923,50.O prefeito Gilberto Kassab (DEM) foi ontem até o local do desabamento e acabou vaiado por moradores da comunidade, onde vivem 12 mil pessoas. "Nessa residência foi feita uma instalação irregular (obra no muro) e essa escavação gerou o escorregamento da terra que atingiu a família." Kassab afirmou, no entanto, que a Prefeitura tomará as medidas necessárias para dar apoio à família. O prefeito permaneceu 15 minutos no local. Ele estava acompanhado do subprefeito de Cidade Ademar, Beto Mendes. "A subprefeitura não foi comunicada. Não tínhamos denúncia sobre a obra", afirmou o subprefeito. Mendes disse que, além do embargo e da multa, será feito um laudo sobre o acidente. Duas casas vizinhas ao local do deslizamento foram interditadas, uma delas parcialmente.Efigênia dormia no sobrado de madeira onde morava com três filhos e um inquilino quando, por volta das 4h20 de ontem, a estrutura do muro desabou com parte do terreno onde estava. "Ouvi um barulho e falei para minha mãe levantar. Ela (Efigênia) disse para deixá-la dormir. Quando viu que a casa estava caindo, ela tentou chamar meu irmão, mas eles não conseguiram sair a tempo", disse um dos filhos da diarista, Lourival Vitoriano dos Santos, de 42 anos. Lourival ficou preso nos escombros e foi resgatado pelo Corpo de Bombeiros somente por volta das 9 horas. O irmão dele, o catador Antonio Rodrigues Monico Vitoriano, de 30 anos, também foi resgatado com vida. Levado para o Hospital Geral de Pedreira, o rapaz passa bem.Na outra casa atingida estava uma filha de Efigênia, o genro e o neto de 8 anos da diarista, mas todos conseguiram escapar sem ferimentos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.