Musas, campeãs dos flashes

Em SP, elas têm a missão de atrair a atenção para as escolas - e para si mesmas

Mônica Cardoso, O Estadao de S.Paulo

23 Fevereiro 2009 | 00h00

Assim como o carnaval do Rio, o desfile paulistano tem suas musas. Mas, diferentemente da festa carioca, em que atrizes globais são madrinhas de bateria, boa parte das musas em São Paulo é formada por ex-participantes de reality shows. Se durante o ano elas ficam um tanto esquecidas, o carnaval é o momento para arrebentar. Ter madrinha famosa é vantajoso para a escola - atrai a atenção do público e os flashes dos fotógrafos. Algumas agremiações, no entanto, não estão preparadas para o assédio. Ao cruzar a linha da dispersão, onde cada segundo a mais desconta pontos, a saída das madrinhas costuma provocar confusão. Os próprios componentes querem se aproximar e tirar fotos. Nessa hora, uma equipe da escola forma um cordão de isolamento, distribuindo cotoveladas, pisões e xingamentos.Elas, por sua vez, não desperdiçam o momento. Ao ser perguntada sobre seus planos, a modelo Ellen Roche, que desfila há 9 anos pela Rosas de Ouro, não titubeou. "Quero fazer uma novela inteira." A emoção é tão grande, diz, que fica com a boca seca. "Me sinto a Madonna." Desfilar em uma grande escola é realizar um sonho. "Prova de que a gente consegue tudo o que faz de coração", diz a atriz e ex-BBB Juliana Alves. A apresentadora e também ex-BBB Íris Stefanelli, que saiu na Leandro de Itaquera, contou que também veio da periferia, tema do enredo desse ano, e demorou quase 30 anos para comprar uma fantasia de carnaval. Outra ex-BBB, Sabrina Sato, veio à frente de um carro da Gaviões da Fiel. Emocionada, disse que só vai ficar tranquila quando a escola vencer. A apresentadora Ana Hickmann, que saiu pela Tom Maior, estava feliz. "Minha família veio me assistir." A dançarina Sheila Carvalho, ex-morena do Tchan, estreou na Unidos de Vila Maria. "Fui muito bem recebida e pretendo me enraizar na escola". Sua antiga colega de grupo, Sheila Mello, foi coroada madrinha de bateria da Acadêmicos do Tucuruvi, onde saiu pela primeira vez. "A responsabilidade com a comunidade aumenta."Não pense que a vida de musa é fácil: sacrifícios com regime e malhação extra são pré-requisitos para brilhar na avenida. Íris conta que perdeu quatro quilos e fez aulas de samba. Adriana Bombom, que saiu pela Tom Maior, comeu seis claras de ovo cozido a cada três horas no dia do desfile. Sheila Mello deixou o sambódromo com marcas por causa do costeiro da fantasia. Vale tudo para ajudar a escola a vencer. Até porque ficar entre as cinco colocadas garante um desfile extra no sábado, entre as campeãs.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.