Músico acusado de matar jovem em apartamento é condenado no Rio

Crime ocorreu em 2009 no Flamengo; Bruno Kligierman Melo já estava preso

estadão.com.br,

28 Fevereiro 2012 | 04h19

SÃO PAULO - Em decisão que saiu nesta madrugada de terça-feira, 27, no 1º Tribunal do Júri, no Rio, o músico Bruno Kligierman Melo, de 28 anos, foi condenado, por maioria de votos, a 14 anos de prisão pelo assassinato de Bárbara Chamun Calazans Laino, 18 anos, crime ocorrido em 24 de outubro de 2009, no apartamento do réu, no bairro do Flamengo, na zona sul da capital fluminense.

 

No momento em que foi morta, a jovem tentava convercer Melo a largar as drogas. Bruno está preso a quase 2 anos e meio no Hospital Psiquiátrico Roberto de Medeiros, no Complexo Penitenciário de Bangu. Em depoimento à juíza Simone Ferraz na segunda-feira, 27, o músico disse que não se recordava do que aconteceu no dia do crime e disse que estava sob efeito de drogas após ter participado de uma festa na casa de um amigo.

 

Parte da história relatada pelo assassino foi desmentida pelo policial militar que atendeu à ocorrência. Segundo o policial, Bruno havia dito que não se lembrava de como matara Bárbara e que se desentendeu com ela no início da manhã daquele dia. O policial contou também que a PM foi acionada às 17 horas e que o corpo da vítima estava coberto. O pai do causado, Luiz Fernando Proa, teme que o filho seja transferido para o sistema penitenciário comum e tente até o suicídio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.