Músico do O Rappa continua em observação

O percussionista do grupo Rappa, Paulo Sergio dos Santos Dias, o Paulo Negueba, que foi baleado na perna direita e nas costas durante a madrugada de ontem, ficará por mais 48 horas em unidade de terapia semi-intensiva, onde não pode receber visitas. Ele está com anemia e receberá sangue por transfusão hoje. Negueba perdeu muito sangue por ter sido atingido pelas balas e pela cirurgia a que se submeteu ontem para reconstrução da artéria e de ossos da perna direita."A circulação sangüínea no seu pé direito apresenta-se satisfatória. Porém, Paulo Sergio será submetido amanhã a uma arteriografia digital para melhor avaliação dos vasos arteriais da perna, por recomendação da equipe de cirurgia vascular do Dr. Arno Von Ristow. As fraturas apresentam-se estabilizadas, e serão reavaliadas após estudo da circulação, por recomendação da equipe de ortopedia do Dr. Pedro Ivo de Carvalho", diz boletim de hoje assinado por João Pantoja, diretor médico do Hospital Copa D?Or, onde Negueba está internado. Segundo o boletim, seu quadro está estável e o controle de dores está "adequado" e sendo feito por analgésicos. Um novo boletim será divulgado amanhã às 11h. Nova cirurgiaPantoj disse que o percussionista do O Rappa precisará ser submetido a mais uma cirurgia ortopédica, além da já realizada ontem. A próxima intervenção deverá ocorrer em cerca de sete dias, a depender da velocidade em que o inchaço na perna direita de Negueba se reduzir. "Ele deve sair do Hospital dentro de duas semanas e caminhar com auxílio de bengala em cerca de um mês e meio", disse o médico. Para o músico caminhar sem auxílio de bengala ou da armação externa que foi colocada em sua perna com parafusos que vão até os ossos, a previsão médica é de cerca de três meses. "Se ele fosse um jogador de futebol, a carreira estaria encerrada, porque os ossos estilhaçaram", disse Pantoja referindo-se aos ossos tíbia e fíbula, da perna direita de Negueba. Como a profissão é de percussionista, o empresário do grupo Rappa, Alexandre Santos, acredita que Negueba voltará a tocar mesmo antes de poder andar sem auxílio da armação ou da bengala. "Ele não teve nada nas mãos e pode tocar sentado", disse Santos, que está no hospital com outros integrantes do Rappa tentando visitar Negueba. Ele disse também que o show do grupo ontem à noite em Magé foi muito bom e a platéia tinha cinco mil pessoas. "O show foi emocionante. Um amigo dele (Paulo Negueba) que tocava com ele no Afro-reggae e é de Vigário Geral também, o Kléber, ficou na percussão", disse. Santos observou que, como Negueba vai permanecer na unidade de terapia semi-intensiva, as visitas continuam restritas e disse que, até por isso, a visita do compositor Caetano Velloso a Negueba não está confirmada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.