Músico do Rappa decide mudar de Vigário Geral

O percussionista do grupo O Rappa, Paulo Negueba, que continua internado, depois de ter levado dois tiros na última sexta-feira, em Vigário Geral, vai se mudar da favela, onde mora com a mãe e as irmãs. Negueba já planejava sair de Vigário Geral, segundo o relato de amigos. Agora ele pensa em facilitar o tratamento a que terá que se submeter - segundo os médicos, ele só deverá voltar a andar em um mês e só poderá tocar daqui a três meses, depois de fazer fisioterapia. Segundo o músico, os tiros foram disparados por policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope).O coordenador executivo do AfroReggae, José Junior, disse hoje, em carta enviada à imprensa, que Negueba está indignado. "Por surpreendente que pareça, Paulo Negueba não está revoltado. Paulo está indignado! Não somente com a situação a que está submetido, mas principalmente com o que rola diariamente nas favelas do Rio de Janeiro. Saber que você é julgado sumariamente pela sua cor e pelo lugar onde mora é uma violação aos direitos básicos à humanidade e à cidadania", escreveu Junior.Novo boletim médico divulgado pelo Hospital Copa D informou que o quadro clínico de Negueba permanece estável. Ele foi submetido a uma arteriografia da perna direita, atingida pelos tiros, para que os médicos avaliassem melhor como está sua circulação sangüínea. O músico irá permanecer na Unidade Semi-Intensiva por mais 24 horas sob observação médica constante e visitas restritas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.