Mutuários da Cohab podem obter escritura por R$ 130,00

Trinta e oito anos depois de ser criada, uma lei federal de habitação vai beneficiar 51 mil mutuários da Companhia Metropolitana de Habitação (Cohab). Desde segunda-feira, quem já quitou o imóvel pode obter sua escritura por R$ 130,00. O valor normal da transação, segundo a Cohab, chega a R$ 1,2 mil. "Agora, que já cumpri com a minha obrigação, vou pegar a mulher e curtir a vida, viajar", disse o aposentado João Moreira da Silva, de 63 anos, dono de um imóvel na Cohab Itaquera 1, na zona leste, há 24 anos. Pelo Programa Sua Casa de Papel Passado, a companhia espera beneficiar todos os mutuários da Cohab na região metropolitana, Guarulhos e Carapicuíba que quitaram o imóvel mas não possuem a escritura. "Em 20 anos, apenas 10 mil tiraram o documento", disse o diretor de Patrimônio da empresa, Altemir Almeida. "A maioria termina de pagar, pega o termo de quitação e não consegue a escritura por causa do custo", acrescentou. Os proprietários estão sendo informados por cartas sobre o dia, local e documentos necessários para providenciar a escritura. Só em Itaquera 1 são 6.925 contratos. O Conjunto Itaquera 2 será atendido a partir do dia 19, e no dia 28, serão os conjuntos de Carapicuíba. No total, serão atendidos moradores de 84 conjuntos. Referência - Com toda a documentação nas mãos, o perueiro Tertuliano Neto, de 29 anos, comemorava o fim das burocracias que enfrenta na hora de trocar de carro, por exemplo. "Quando fui comprar a Kombi, tive de correr atrás de fiador", contou. "Agora, tenho uma referência na vida." Um dos primeiros moradores do conjunto, o aposentado Angelo Rodrigues da Silva, de 59 anos, guardou a certidão de compra e venda como se fosse ouro. Nem a família sabia onde deixava. "Os documentos estavam esperando a hora certa de sair do esconderijo", disse, fechando uma pasta de cartolina cor-de-rosa. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 3119-2993

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.