Myryam Athiê perde mais uma na Justiça

O desembargador Manoel Ricardo Rebello Pinho que, na semana passada, confirmou a liminar que afasta Myryam Athiê do cargo de vereadora, na Câmara Municipal de São Paulo, indeferiu hoje pedido de reconsideração por ela apresentado. Anteriormente Myryam havia recorrido ao Tribunal de Justiça (TJ) pretendendo cassar a liminar concedida em primeira instância numa ação em que a Promotoria da Cidadania à acusa de improbidade administrativa. O desembargador Rebello Pinho no dia 9, manteve a liminar ?por não estarem presentes os requisitos legais? para a sua revogação. Inconformada Myryam insistiu, requerendo ao desembargador que reconsiderasse sua decisão. Em longa petição, voltou a negar a acusação de haver recebido propina de R$ 40 mil para influir no levantamento da intervenção da prefeitura na empresa de ônibus Cidade Tiradentes. Admitiu que teve contatos com os donos Tiradentes, mas apenas para atender ? a sofrida população da cidade Tiradentes?, onde tem seu reduto eleitoral numa tentativa de que a empresa suspendesse decretação de greve. Pinho indeferiu o pedido em curto despacho, em que mantém sua decisão anterior. A decisão final do recurso ocorrerá na 6ª Câmara de Direito Público, em data ainda não fixada. Myryam só voltará ao cargo se o recurso for acolhido, nesse julgamento de mérito, que terá a participação de três desembargadores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.