MySpace é intimado após suicídio de garota

Megan, de 13 anos, se enforcou após receber mensagens de usuário falso

Rebecca Cathcart, The New York Times, Los Angeles, O Estadao de S.Paulo

11 de janeiro de 2008 | 00h00

Na semana passada, um júri federal de Los Angeles intimou o site de relacionamentos MySpace e outros ligados ao caso de Megan Meier, de 13 anos, do Missouri, que se suicidou após receber mensagens cruéis de pessoas que se passavam por um adolescente. Segundo o Los Angeles Times, a investigação vai definir se a criação de uma identidade falsa para importunar a garota pode ser considerada fraude na web. Por falta de tipificação legal do delito, promotores federais não vão apresentar acusações contra Lori Drew, sua filha adolescente - colega de Megan - e um ex-funcionário. Lori foi acusada de criar uma conta online usando a identidade falsa de Josh Evans, de 16 anos, para se comunicar com Megan no MySpace. A última mensagem de Josh para a garota dizia: "O mundo seria um lugar melhor sem você." Naquele dia, a jovem se enforcou. Megan era amiga da filha de Drew, mas a relação esfriou quando as duas entraram na 5ª série, há dois anos. Logo depois, Josh apareceu no MySpace e começou a enviar mensagens a Megan - a princípio afáveis, segundo Jack Nabas, promotor de Missouri. Mas, em 15 de outubro de 2006, o tom mudou. Josh e outros usuários do MySpace começaram a atormentar Megan com comentários negativos."Embora estivesse a par da conta, Lori Drew nunca enviou mensagens a Megan nem a ninguém usando esta conta no MySpace", disse seu advogado, Jim Briscoe. Segundo a promotoria, o autor da última mensagem foi provavelmente Ashley Grills, que trabalhava para Drew e tinha 18 anos na época.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.