Terni Castro
Terni Castro

Número de mortos pela chuva em Pernambuco chega a sete

Temporal na região metropolitana da capital causou alagamentos nesta segunda; corpos foram encontrados depois que a água baixou

Monica Bernardes, Especial para o Estado

31 Maio 2016 | 22h48

RECIFE - Sete pessoas mortas, dezenas de feridos, mais de 900 desabrigados, centenas de imóveis alagados e equipamentos públicos comprometidos. Esse foi o saldo do temporal que atingiu a região metropolitana do Recife, na segunda-feira, 30. Durante todo o dia, centenas de famílias contabilizavam os prejuízos e tentavam resgatar roupas, móveis e eletrodomésticos em meio à lama e entulhos. 

Do total de mortos, três vítimas só foram encontradas ao longo desta terça-feira, 31, depois que a água começou a baixar em algumas das centenas de pontos de alagamento da região. A suspeita é de que tenham morrido por afogamento ou choque elétrico.  Outras quatro pessoas mortas – vítimas de deslizamentos e desmoronamentos, já haviam tido os corpos resgatados, na segunda.

 Apesar da pouca chuva nesta terça, bairros inteiros de vários municípios do Grande Recife ainda estavam com a maior parte das ruas inundadas. Era o caso dos bairros de Jardim Fragoso, Jardim Atlântico, Aguazinha, Ilha do Maruim, Peixinhos e Rio Doce, em Olinda e Jardim Paulista e Janga, em Paulista.

No Recife, a situação permanecia muito complicada no Ibura, Afogados, Imbiribeira, São José, Córrego do Euclides e Passarinho, entre outros.  Pelo menos 45 árvores, de médio e grande porte, caíram nos municípios de Recife, Olinda, Paulista e Jaboatão. A Defesa Civil de Olinda e a Secretaria de Obras do municípios iniciaram um estudo para avaliar o estrago causado pelo desabamento de mais de 300 metros de pista e calçada da via localizada na beira-mar da cidade. 

Mortes. O corpo do pedreiro Everaldo Benedito dos Santos, de 42 anos, foi encontrado no final da manhã desta terça nas imediações do Canal do Fragoso, em Olinda, que transbordou, deixando a comunidade onde a vítima morava completamente alagada.

Segundo familiares o homem tirou a esposa e os filhos de casa, mas teria retornado ao imóvel com receio de saques. No final da tarde ela chegou a falar com um vizinho, mas depois não foi mais visto. O corpo foi localizado ao lado de um poste da rede de energia elétrica.

Mais conteúdo sobre:
RECIFE São José Defesa Civil

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.