José Luis da Conceição/Estadão
José Luis da Conceição/Estadão

Nº de passageiros nos aeroportos deve crescer 14% neste feriado

Governo, empresas, Anac e Infraero vão reforçar equipes até o dia 23; ministro não vê risco de apagão em terminais

Laís Alegretti, O Estado de S. Paulo

12 de fevereiro de 2015 | 19h58

BRASÍLIA - O governo federal coloca em funcionamento nesta sexta-feira, 13, a operação batizada de Folia Feliz para garantir o bom atendimento nos principais aeroportos do País durante o carnaval. “Estamos efetivamente preocupados que o folião seja muito feliz, principalmente quando passar pelos aeroportos”, disse o ministro-chefe da Secretaria de Aviação Civil (SAC), Eliseu Padilha. A operação, que inclui a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), companhias aéreas e outros órgãos do governo, vai até a segunda-feira seguinte ao carnaval, dia 23.

O governo espera um aumento de 14% na quantidade de passageiros que passarão pelos sete principais aeroportos. A estimativa é de 5,3 milhões de pessoas. No mesmo período do ano passado, a movimentação foi de 4,6 milhões. O dado inclui os dois aeroportos do Rio (Santos Dumont e Galeão), os dois de São Paulo (Guarulhos e Congonhas), além dos aeroportos de Brasília, Salvador e Recife. Segundo o governo, esses terminais foram selecionados por tradicionalmente registrarem maior fluxo de turistas no carnaval.


A Infraero, a Anac e as companhias aéreas se comprometeram a, nesse período, reforçar as equipes e cancelar férias de funcionários. “Como são momentos de grande movimentação, temos todos os voos cheios e os aeroportos com mais voos. Qualquer fechamento de aeroporto ou atraso pode causar problema para o passageiro e a Anac atua para que ele não fique sem assistência”, disse o diretor-presidente da agência, Marcelo Guaranys. Para os passageiros, a orientação da Anac é que cheguem com antecedência aos terminais, especialmente nos aeroportos maiores.

A expectativa das autoridades do setor é que esta sexta-feira será o dia de maior movimento nos aeroportos, quando são esperados mais de 490 mil pessoas nos sete principais terminais. A Anac informou que as companhias ofereceram 1,2 mil voos extras no período do carnaval para os sete principais terminais, além de Viracopos, em Campinas.

Energia e direitos. O ministro Eliseu Padilha ressaltou que não há temor de falta de energia nos aeroportos. “O ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, tem deixado muito claro que nós temos energia sobrando”, afirmou. Guaranys lembrou, entretanto, que os aeroportos têm geradores. “Em caso de qualquer falha, haverá acionamento das contingências.”

Em caso de cancelamento de voo, a empresa deverá oferecer ao passageiro, além de assistência material, opções de reacomodação em outros voos ou reembolso do bilhete aéreo. Quando houver atraso de mais de uma hora, a companhia deve fornecer comunicação (internet e telefone). Quando o atraso ultrapassar duas horas, é obrigatório que as empresas forneçam alimentação aos passageiros prejudicados. Quando o atraso superar quatro horas, há direito a acomodação ou hospedagem e transporte.

Tudo o que sabemos sobre:
Infraero

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.