Marcos Arcoverde/AE
Marcos Arcoverde/AE

Na 5ª, embarque será grátis nas estações que tiveram falha

Passageiros enfrentaram problemas na manhã desta quarta e tiveram que sair dos trens e andar pelos trilhos

Solange Spigliatti, Central de Notícias,

07 de outubro de 2009 | 12h51

Para compensar os passageiros que foram prejudicados com a paralisação da circulação dos trens no percurso Japeri-Central do Brasil, na Baixada Fluminense, na manhã desta quarta-feira, 7, a Supervia, concessionária que administra a linha, o embarque será liberado nesta quinta-feira.  Um dos trens pegou fogo durante a manifestação. Pelo menos 11 pessoas ficaram feridas, segundo informações da GloboNews. O Choque foi à Estação Nilópolis para controlar a confusão.

 

Segundo a Supervia, a empresa vai disponibilizar o embarque gratuito em todas as estações do ramal de Japeri (de Ricardo de Albuquerque a Paracambi) até as 10 horas de quinta. A medida foi tomada devido à impossibilidade de devolução do valor das passagens a todos os passageiros, de acordo com a Supervia.

 

A interrupção da circulação começou às 7h40 desta quarta, quando um das composições apresentou um problema técnico. Segundo a Supervia, às 11h40, a situação já estava sob controle e a empresa avaliava as condições técnicas para o retorno da operação.

  

O trem que fazia o percurso Japeri-Central do Brasil apresentou um problema operacional a 100 metros da Estação Nilópolis e não pode prosseguir viagem. A companhia realizou o reparo da composição em 12 minutos, mas um grupo de passageiros forçou as portas e desembarcou na via férrea.

 

Como medida de segurança, a SuperVia acionou a Polícia Militar e suspendeu a circulação no ramal Japeri. Com a suspensão da circulação no ramal, todas as estações de Deodoro a Japeri (no ramal Japeri) tiveram os embarques suspensos e, em algumas delas, foram registrados atos de vandalismo, inclusive com a tentativa de atear fogo em uma composição.

Tudo o que sabemos sobre:
RioSuperViatremtransporte

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.