Marcos de Paula/Estadão
Marcos de Paula/Estadão

Na América Latina, vínculo com catolicismo enfraquece, diz estudo

Pesquisa mostra que 69% dos latino-americanos adultos se consideram católicos, contra 90% durante grande parte do século 20

Michael Paulson, The New York Times

13 de novembro de 2014 | 18h02

O predomínio da Igreja Católica na América Latina vem decrescendo. Pesquisa do Pew Research Center (dos Estados Unidos) revela que 69% dos latino-americanos adultos se consideram católicos, o que representa queda em relação aos 90% que se diziam católicos no século 20. O declínio parece ter acelerado recentemente: 84% dos entrevistados também afirmaram ter sido educados na religião católica, queda de 15 pontos porcentuais em uma geração.

Há algum tempo, tem ficado evidente que as igrejas evangélica e particularmente a pentecostal cresceram na América Latina, no geral às expensas do catolicismo. Mas o estudo feito pelo Pew Center - que realizou entrevistas com 30 mil adultos em 19 países - fornece provas significativas dessa tendência, mostrando que o crescimento daquelas igrejas tem sido amplo e rápido.


“Na mente de muitas pessoas, (a América Latina) é sinônimo de catolicismo, mas essa associação está desgastada”, afirmou Neha Sahgal, pesquisador sênior do Pew Center. “É uma tendência consistente em toda a região”, acrescentou.

A América Latina continua a ser a base de 40% dos católicos do mundo. Mas, segundo a pesquisa, 19% dos latino-americanos hoje se descrevem como protestantes. Entre aqueles que se converteram ao protestantismo, muitos afirmam ter ido em busca de uma relação mais pessoal com Deus.

Transformações. A mudança tem implicações religiosas e políticas. De acordo com o estudo, os protestantes na América Latina são mais religiosos e mais conservadores do que os católicos: oram mais, assistem às cerimônias mais frequentemente e estão mais dispostos a pagar o dízimo. Eles também se opõem ferrenhamente ao casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Quanto aos ensinamentos da Igreja Católica, as atitudes variam de acordo com a região. Em muitos países, para a maioria dos católicos, a igreja deveria permitir o uso de contraceptivos e o divórcio. Uma grande parte de católicos no Brasil, Chile, Porto Rico e Uruguai apoia a ordenação sacerdotal de mulheres. Mas existe forte apoio à manutenção do celibato sacerdotal para padres em outras áreas, particularmente em El Salvador, Guatemala e Honduras.

O declínio no número de católicos latino-americanos é similar nos Estados Unidos, onde um número significativo de hispânicos e não hispânicos cresceu na religião católica, mas abandonou a igreja. Nos Estados Unidos, 18% dos hispânicos declararam não ter uma religião em particular, comparado com 8% dos latino-americanos.

Outros dados. O estudo chegou a outras conclusões: o país mais católico entre os pesquisados é o Paraguai, onde 89% dos adultos praticam a religião e o menos católico é o Uruguai, onde apenas 42% dos adultos afirmaram sua fé católica. Segundo o Pew Center, o Uruguai “é, de longe, o país mais secular da América Latina”.

As entrevistas foram realizadas de outubro de 2013 a fevereiro de 2014, abrangendo todos os países de língua espanhola e portuguesa na América Latina e Caribe, exceto Cuba. A margem de erro é de três a quatro pontos porcentuais. / TRADUÇÃO DE TEREZINHA MARTINO


Tudo o que sabemos sobre:
Igreja CatólicaAmérica Latina

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.