Na Argentina, tornado deixa 10 pessoas mortas e várias feridas

Temporal passou pela província de Misiones, na fronteira com Rio Grande do Sul, e arrasou cidade de San Pedro

Ariel Palácios, correspondente de O Estado de S.Paulo

08 de setembro de 2009 | 15h44

"Nunca vimos nada assim antes!". A frase foi pronunciada na manhã desta terça-feira, 8, por Orlando Walfart, prefeito de San Pedro, na província de Misiones, no Nordeste da Argentina, ao ver o cenário de destruição provocado por um tornado que arrasou o pequeno município, de menos de 20 mil habitantes.

 

Veja também:

linkTemporal deixa 4 mortos e famílias desabrigadas no Sul do País

linkRios transbordam e CET pede que motoristas evitem marginais

linkTemporal faz mar invadir calçadão e causa estragos no litoral

linkTelefônica volta a ter problemas com telefonia fixa em SP

 mais imagens GALERIA: Imagens da chuva e do caos em SP nesta terça

blog BLOG: Acompanhe a situação do trânsito na cidade

forum FÓRUM: Você teve problemas para fazer ligações?

lista COMENTE: Twitter do estadao.com.br 

 

A cidade registra 10 mortes por causa do tornado, a maioria crianças. Além disso, 51 pessoas ficaram feridas - 18 em estado grave. Os feridos foram transportados para hospitais da cidade de Eldorado.

 

A tempestade começou após as 22 horas de segunda-feira e atingiu a cidade ao longo da madrugada desta terça-feira. San Pedro, localizada no nordeste da província de Misiones, no Nordeste da Argentina, próxima à fronteira do Paraná e Santa Catarina, é uma humilde região agrícola.

 

Segundo Walfart, no meio do tornado, os fortes ventos arrancaram um bebê dos braços de sua mãe. As testemunhas indicaram que o tornado carregou animais, além de derrubar árvores e postes de luz.

 

"Uma catástrofe" foi a definição do ministro da Saúde, Juan Manzur, que viajou para San Pedro, para coordenar pessoalmente os trabalhos de assistência à população da arrasada cidade. Manzur sustentou que a faixa de destruição do tornado oscilou entre 100 e 200 metros de largura.

 

Cento e vinte famílias perderam suas casas. Diversas famílias da região são compostas por lavradores brasileiros que residem há anos do lado argentino da fronteira e seus descendentes.

 

O tornado - que derrubou torres de alta tensão - também destruiu o centro de saúde de um dos distritos de San Pedro, Colônia Santa Rosa. As testemunhas, em declarações aos canais de TV e estações de rádio de Misiones, indicaram que o centro, inaugurado há três anos, havia sido totalmente "apagado do mapa". Segundo eles, o terreno do centro de saúde "parecia um baldio".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.