Na ativa, Lula e FHC retomam embate

Ex-presidentes participaram de eventos políticos ontem em São Paulo; tucano diz a rádio que petistas ''mamam na elite'' e PT rebate com mais críticas

Gabriel Manzano, Lucas de Abreu Maia e Daiene Cardoso, O Estado de S.Paulo

19 Abril 2011 | 00h00

Os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Fernando Henrique Cardoso, que na semana passada protagonizaram debates sobre como conquistar o voto da "nova classe média", demonstram estar na ativa como articuladores políticos, contrastando com o discreto perfil da presidente Dilma Rousseff. Ontem, coincidentemente, Lula e FHC participaram em São Paulo de reuniões políticas - o petista no Instituto Cidadania, e o tucano no instituto que leva seu nome.

Em entrevista à rádio Cultura de São Paulo, veiculada ontem, FHC afirmou que os petistas estão "mamando na elite". "O Lula, que era contra a privatização, agora está lá falando para a Telefónica, ganhando US$ 10 mil. O filho dele é sócio de uma empresa de telefonia. E ele era contra a privatização...", repetiu. E acrescentou: "(Os petistas) aderiram totalmente às transformações que nós provocamos e ainda vêm nos criticar e dizer que nós somos da elite contra o povo. Eles estão mamando na elite".

O comentário segue-se às farpas disparadas no final de semana por Lula, que cobrou do rival por sua tese de que a oposição ficaria "falando sozinha" se insistisse em conquistar o "povão", já "cooptado" pelo PT e o governo. De Londres, onde fez palestra depois de ver o jogo Real Madrid x Barcelona no sábado, na Espanha, Lula afirmou: "Não sei como alguém estuda tanto e depois quer esquecer o povão. O povão é a razão de ser do Brasil".

Debate sério. Ontem à noite, em evento no Instituto FHC, o ex-presidente voltou a falar do adversário: "Eu já disse um milhão de vezes para o Lula que me interessa debater não para um criticar o outro. O Lula gosta muito dessas frases de efeito. O que eu proponho é debater com profundidade as contribuições que os nossos partidos deram ou podem vir a dar ao País". Segundo o ex-presidente, "o problema dele é ter perdido a eleição para mim por duas vezes".

Do outro lado, no Instituto Cidadania, senadores petistas reunidos com Lula, ironizaram as declarações de FHC. "Ele fez uma declaração infeliz e está tentando se remendar em cima de críticas a Lula", disse o líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE). "Fernando Henrique fez uma declaração que de, alguma maneira, expressa a verdade: o PSDB e outros partidos fizeram uma opção, desde sua criação, que é a de lidar com a elite brasileira. Lula sempre fez uma opção que é estar ao lado do povo", disse o senador Jorge Viana (PT-AC).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.