Na Baixada Santista, 46% das viagens são a pé ou de bicicleta

A primeira Pesquisa Origem e Destino realizada na Baixada Santista pela Secretaria de Transportes Metropolitanos de São Paulo mostrou que, das 2.079.516 viagens feitas diariamente na região, 46% não são motorizadas. Dos percursos considerados como viagens - deslocamentos superiores a 500 metros ou qualquer distância para ir ao trabalho ou à escola - 661 mil são a pé e 303 mil de bicicleta; em seguida aparecem as viagens em ônibus municipal, 339 mil; e, por fim, o automóvel, com 249 mil. Das viagens motorizadas, 62% são feitas por transporte coletivo e 38%, individualmente. O secretário dos Transportes Metropolitanos, José Luiz Portella, disse que o resultado mostra que a Baixada está "à frente" da Região Metropolitana de São Paulo, onde apenas 0,7% das pessoas usam as bicicletas como transporte - na região litorânea, esse número corresponde a 15%. "O resultado que mais agradou foi o da bicicleta. Essa vai ser nossa grande política em São Paulo também. Para melhorar a vida das pessoas, tem de retirar o carro da rua", disse o secretário. Entre os usuários das bicicletas, 54% utilizam o veículo para ir trabalhar e 42% para estudar, restando 4% para lazer e outras atividades.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.