Na capital paulista, 87 escolas tomadas pelo tráfico

Um levantamento feito por policiais do Departamento de Investigações sobre Narcóticos (Denarc) considerou 87 escolas da capital como pontos críticos de venda de crack, maconha e cocaína. A atuação dos traficantes foi avaliada em colégios e faculdades das redes pública e privada e dividida entre as áreas onde funcionam as sete delegacias seccionais da Polícia Civil. Desse total de escolas, 59 são estabelecimentos estaduais, responsáveis pelo ensino fundamental (crianças de 7 a 14 anos) e médio (adolescentes entre 15 e 17 anos); 20 são da rede municipal, que oferece, além do ensino fundamental, o infantil (crianças de 4 a 6 anos), e oito são particulares.

Agencia Estado,

19 de agosto de 2002 | 09h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.