Na CPTM, grafite está nas estações e até nos trens

Os quase 2 milhões de pessoas que ocupam, diariamente, os vagões da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) também contam com arte para se distrair. Há 18 obras expostas nas estações.Na da Luz, por exemplo, está o painel Panorama de São Paulo, de 18 m², com imagens da cidade no início do século 20, clicadas pelo fotógrafo italiano Vincenzo Pastore. A artista plástica Maria Bonomi, na mesma estação, assina o painel Epopéia Paulista, com 200 placas de concreto pigmentado. Mas o ponto forte mesmo da arte da CPTM é o grafite. Nove obras - metade do acervo - são desse gênero. O traço característico dos badalados irmãos Otávio e Gustavo Pandolfo, Osgemeos, pode ser visto nas estações da Luz, Ipiranga e Lapa. O grafite também está em dois trens da companhia, pintados por Ise, Nina e Osgemeos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.