Na crise, governo do Rio vai investir em comunicação

Em meio à pior política enfrentada pelo governador Sérgio Cabral Filho (PMDB), o governo do Rio abre hoje as propostas para a concorrência que vai definir a contratação de empresa que prestará serviços de assessoria de imprensa e relações públicas. O valor máximo do contrato estipulado pelo edital é de R$ 18 milhões. Atualmente, a FSB Comunicações lidera um grupo de seis empresas responsáveis pela comunicação social do Palácio Guanabara. O custo anual do serviço é de R$ 7,8 milhões, mas não inclui alguns dos itens previstos no edital.

Alfredo Junqueira, O Estado de S.Paulo

01 de julho de 2011 | 00h00

O objetivo do certame é adequar o Estado à Lei 12.232/2010, que passou a proibir a subcontratação de serviços de assessoria de comunicação e relações públicas pelas agências de publicidade que servem ao poder público. Até a tarde de ontem, 15 empresas haviam retirado o edital para participar da concorrência.

Apesar da duração inicial do contrato ser de 12 meses, há previsão legal para se estender a vigência por 60 meses. As tabelas anexas estipulam alguns dos valores máximos previstos a ser pagos aos funcionários contratados. As equipes formadas terão, no mínimo, 28 funcionários.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.