Na Fiesp, Quércia promete entrar na guerra fiscal

O candidato do PMDB ao governo de São Paulo, Orestes Quércia, foi o primeiro postulante ao cargo a ser recebido na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) para a entrega do documento com propostas para o Estado. Durante almoço fechado com empresários e com o presidente da entidade, Paulo Skaf, nesta segunda-feira, 14, Quércia ouviu as propostas do setor e se comprometeu, caso seja eleito, a enfrentar a concorrência com os outros Estados."Eu me comprometi com eles de entrar na guerra fiscal, trazer indústrias nacionais e multinacionais e empregos", afirmou em entrevista após o encontro. "São Paulo está sendo ultrapassado pelos outros Estados".Quércia disse que um dos meios para fortalecer as empresas - das de pequeno e médio portes às grandes corporações - é reestruturar a Nossa Caixa e tornar o banco competitivo no mercado. "Vamos buscar recursos no exterior, oferecer financiamento para micro e pequenas empresas", disse.O presidente da Fiesp, Paulo Skaf, explicou que há várias reivindicações do setor, e citou como exemplo o pedido de aumento do prazo para o recolhimento do ICMS. "No passado podíamos recolher o ICMS em até 120 dias, mas depois veio a inflação e os prazos foram encurtados. A inflação foi embora e precisamos ampliar os prazos", afirmou, acrescentando que há casos em que o ICMS é recolhido em 30 dias e a mercadoria faturada em até 90 dias.Segundo Skaf, o próximo candidato ao governo de São Paulo a visitar a Fiesp é Aloizio Mercadante (PT), na próxima quarta-feira. José Serra (PSDB) tem encontro com os empresários agendado para a segunda-feira, dia 21 de agosto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.