Na TV, Dilma terá 46% a mais de tempo que Serra

A cada semana, petista terá 36 inserções de 30 segundos durante a programação normal das emissoras, 11 a mais que o adversário

Daniel Bramatti, O Estado de S.Paulo

13 de agosto de 2010 | 00h00

A presidenciável Dilma Rousseff (PT) terá, em cada bloco do horário fixo de propaganda eleitoral, 3 minutos e 20 segundos a mais que seu principal adversário, José Serra (PSDB). O tempo da petista no rádio e na TV será 46% maior que o do tucano.

Segundo divulgou ontem o Tribunal Superior Eleitoral, Dilma também aparecerá, a cada dia, em cinco ou seis inserções de propaganda de 30 segundos, distribuídas ao longo da programação das emissoras de rádio e TV. Serra, por sua vez, terá direito a três ou quatro inserções diárias.

Conforme o Estado antecipou no último dia 29, a desvantagem do tucano, nas inserções, será de quase 50 segundos por dia. A cada semana, Dilma terá 11 peças de 30 segundos a mais que o adversário. Nos 45 dias de propaganda eleitoral, a petista terá direito a 229 inserções, quanto Serra aparecerá em 158 - uma delas ganha no sorteio das "sobras" da divisão feita pelo TSE.

As inserções são vistas pelos especialistas em marketing político como as armas mais poderosas de propaganda, porque elas chegam de surpresa aos eleitores, misturadas à publicidade comercial e em horários diversos. Mesmo os espectadores desinteressados em política as assistem, diferentemente do que acontece com o horário fixo de propaganda.

Em cada bloco de 25 minutos do horário fixo, Dilma ocupará 10 minutos e 38 segundos. Serra, por sua vez, terá 7 minutos e 18 segundos (veja quadro).

Alianças. Dilma terá tempo maior nas inserções e no horário fixo porque a legislação determina que dois terços desse tempo sejam distribuídos de acordo com o tamanho das bancadas dos partidos ou coligações do candidato. O tempo restante é dividido igualmente entre todos os concorrentes.

Dilma, além do PT, é apoiada por PMDB, PRB, PDT, PTN, PSC, PR, PTC, PSB e PC do B, partidos que, na eleição de 2006, elegeram 274 dos 513 deputados federais. Já a coligação de Serra, que reúne PSDB, DEM, PTB, PPS, PMN e PT do B, elegeu 180 deputados - 94 a menos.

Marina Silva, do PV, que não se coligou a outros partidos e elegeu 13 representantes na Câmara, terá direito a apenas 29 inserções em 45 dias. Plínio de Arruda Sampaio (PSOL), cuja legenda elegeu três deputados, poderá aparecer em 23 inserções - uma delas também ganha por sorteio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.