Na TV, Lula e Alckmin destacam atuação no último debate

Os dois candidatos à Presidência da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Geraldo Alckmin (PSDB), destacaram suas participações no debate desta segunda-feira promovido pela TV Record. "Alckmin novamente se mostrou mais preocupado em atacar o presidente, do que em apresentar propostas", alfinetou Lula, enquanto Alckmin afirmou ter "as melhores propostas".Lula reafirmou seu "compromisso com a redução da pobreza e com a geração de empregos", e ressaltou o desenvolvimento econômico dos últimos quatro anos. "A economia brasileira está longe de ser a economia perfeita", reconheceu Lula, que atacou os governos tucanos, e completou: "ela (a economia) está crescendo pouco, mas a pobreza diminui 19,3%". O petista destacou ainda sua política externa.Sobre a questão ética, Lula afirmou que está investigando todas as denúncias, e alfinetou Alckmin, a quem acusou de ter bloqueado CPIs na Assembléia Legislativa de São Paulo. O petista ainda destacou os avanços nas áreas de saúde e educação, e relembrou suas propostas para a geração de emprego e para a área social.Direito de resposta de LulaLula exibiu um direito de resposta concedido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) durante o programa de Alckmin, a quem acusou de tentar "passar para a opinião pública a falsa idéia de que o presidente Lula não quer que a Polícia Federal e o Ministério Público apurem com rapidez o caso do dossiê". Um narrador afirmou que Lula é o "principal interessado na agilidade da investigação", mas que não pode atuar por cima da lei e das instituições. Ele afirmou que Lula deu total apoio às investigações, e que tem cobrado "a apuração dos fatos e a punição dos culpados". "O governo Lula combate o crime e a corrupção de modo implacável, sem proteger amigos nem perseguir adversários", disse. AlckminJá Alckmin ressaltou as diferenças entre ele e seu adversário, e citou a economia e a saúde como exemplos. "Ele (Lula) acha que está bom crescer 2% no Brasil, eu acho que não está", acusou o tucano, que criticou Lula durante quase todo seu programa e manteve o tom agressivo visto ontem no debate. Ele ainda afirmou que "reagiu com equilíbrio diante das ironias de Lula".O tucano apresentou suas propostas em seu programa para a agricultura e para a geração de empregos e defendeu o corte de impostos. Ele dedicou uma segunda parte de seu programa para falar sobre a educação que, segundo ele, estará "em primeiro lugar" no seu governo. O candidato do PSDB aproveitou para elogiar o ex-ministro da Educação e candidato à Presidência no primeiro turno, o senador Cristovam Buarque (PDT). "Um homem sério, honrado, que foi demitido pelo telefone pelo presidente Lula", alfinetou Alckmin, que prometeu melhores salários para os professores e um mínimo de 5 horas de aula diárias para os alunos do ensino básico.

Agencia Estado,

24 de outubro de 2006 | 14h40

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõeseleições 2006

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.