Na última madrugada do ano, Rio sofre novos ataques

O estado de alerta em que se encontra a polícia carioca não impediu que criminosos realizassem mais atentados na cidade do Rio de Janeiro, na noite do último sábado e madrugada deste domingo. Um morador de rua foi baleado e, durante troca de tiros entre supostos traficantes e policiais, um suspeito foi baleado. O quartel do Corpo de Bombeiros de Santa Teresa, na zona sul, sofreu dois ataques na madrugada de hoje. Traficantes do Morro dos Prazeres jogaram três granadas na unidade, danificando os carros. Um dos artefatos não explodiu. Ninguém ficou ferido. Os bombeiros aguardavam a chegada do Esquadrão Antibomba para que o artefato fosse detonado. Um traficante armado de fuzil circulava livremente próximo à unidade e ameaçava repórteres que estavam no local. Não havia reforço policial. A Câmara de Vereadores de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, foi alvejada na madrugada deste domingo. Dois homens passaram numa moto e fizeram disparos em direção ao prédio. Não houve feridos. Também na madrugada, criminosos tentaram atacar a 28.ª Delegacia de Polícia (Campinho, zona norte). Os policiais perceberam a movimentação e revidaram. Houve troca de tiros, que não deixou feridos. A 6.ª DP (Cidade Nova, no centro) foi alvejada na noite de ontem.Além atacar delegacias e postos policiais, os marginais voltaram sua fúria também contra um posto de combustíveis. Os disparos atingiram uma bomba de gasolina, que não explodiu. Os ataques começaram na última quinta-feira.Ataques e vítimaO primeiro ataque da noite aconteceu por volta de 22 horas, em Cidade Nova, onde os criminosos dispararam contra a delegacia de polícia do bairro. Essa delegacia já havia sido alvo dos criminosos na primeira noite dessa nova onda de violência. Nesta noite, os bandidos fecharam a rua da DP e trocaram tiros com os policiais. Armados de metralhadoras e fuzis efetuaram inúmeros disparos, sem atingir ninguém. Antes de fugir em direção ao Morro da Providência, lançaram uma granada contra o Batalhão do Policiamento de Turismo, próximo àquela delegacia. Outra delegacia alvejada pelos marginais, já na madrugada, foi a do bairro do Campinho, na zona oeste do Rio. Lá também ocorreu troca de tiros e, desta vez, um dos atiradores foi atingido pelos policiais. Os comparsas o abandonaram e fugiram no sentido de Jacarepaguá. E na Linha Amarela, dois postos policiais na via expressa foram alvo de diversos disparos. Lá também os projéteis atingiram apenas as cabines e não os policiais. Um helicóptero da PM vasculhou a área, mas nenhum dos criminosos foi localizado.Em Brás de Pina, na zona norte, o alvo da violência foi um posto de venda de combustíveis. Os bandidos atiraram contra as bombas de gasolina e dependências do posto, sem que nenhum funcionários saísse ferido nem ocorresse explosão. A vítima nesse caso foi um morador de rua que estava próximo e foi socorrido. Desde o início da ação criminosa já aconteceram 25 mortes no Rio. Um carro de combate bloqueou a rua onde fica o prédio da Polícia Civil, na região central da cidade.Este texto foi alterado às 11 horas para acréscimo de informação

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.