Namorada de Lorde não é reconhecida por testemunhas de ataque a ônibus

Depois de um mês apontando um casal como responsável pelo ataque ao ônibus 350, que matou cinco pessoas carbonizadas em novembro do ano passado, a Polícia do Rio pode ter errado mais uma vez. Brenda Lizer dos Santos da Silva, de 19 anos, se apresentou no fim da madrugada de hoje à polícia, a exemplo do que fez ontem seu namorado, Anderson Gonçalves dos Santos, o Lorde, acusado de ter ordenado o crime. Brenda, apontada pelo chefe de Polícia Civil, Álvaro Lins, como a principal cúmplice de Lorde, foi considerada inocente na Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE), onde prestou depoimento durante todo o dia. A polícia, que já tinha prendido no mês passado uma mulher no lugar dela, não pôde detê-la porque Brenda não foi reconhecida por nenhuma das cinco vítimas e quatro testemunhas que estiveram hoje na delegacia. "Brenda foi reconhecida como namorada de Lorde, mas ninguém disse que ela estava lá. Vai sair em liberdade", anunciou a inspetora Marina Magessi, chefe da investigação da DRE, logo após a sessão de reconhecimento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.