João Rogério Filho/Divulgação
João Rogério Filho/Divulgação

Naná, um dos homenageados da festa, abre o carnaval do Recife

Mais de 700 mil pessoas devem participem dos 5 dias de folia no Bairro do Recife Antigo

Angela Lacerda - O Estado de S.Paulo,

07 Fevereiro 2013 | 17h00

RECIFE - O percussionista Naná Vasconcelos, homenageado do carnaval do Recife ao lado do fotógrafo Alcir Lacerda (em memória), abre o carnaval da cidade, na noite desta sexta-feira, 8, à frente de 500 batuqueiros de maracatu de baque virado, no Marco Zero, bairro do Recife Antigo. É a décima segunda vez que o artista, de trajeto e reconhecimento internacional, rege o batuque que sinaliza o início oficial da festa de forte diversidade cultural que desde a semana passada já havia tomado as ruas da capital e as ladeiras de Olinda, em seguidas prévias, ensaios e esquentes.

Milton Nascimento vai fazer parte do show de abertura, ao lado da cantora de fado portuguesa Carminho, numa homenagem ao frevo, reconhecido pela Unesco como patrimônio imaterial e cultural da humanidade. O ritmo será executado sob a regência do maestro Ademir Araújo e maestro Spok e estará nas vozes de artistas como o cantor Claudionor Germano, 80 anos, uma das estrelas do carnaval pernambucano.

Lenine, Fafá de Belém, Luíza Possi, Geraldo Azevedo, Elba Ramalho, Emílio Santiago e Nena Queiroga também figuram entre os 20 nomes que irão se revezar no palco até a madrugada. A expectativa é que mais de 700 mil pessoas brinquem nos cinco dias de folia no Bairro do Recife Antigo, que vai abrigar três dos 17 polos distribuídos pela cidade, com ritmos e atrações para todos os gostos. O total de shows chegará a 300 e terá Caetano Veloso no encerramento.

O carnaval recifense não deixa ninguém de fora e tem opção até para quem não gosta de carnaval, de frevo, de bois, blocos líricos, maracatus, troças, bonecos gigantes, papangus, de caboclinhos ou de fantasia. Também no Recife Antigo, foi instalado o RecBeat, onde a pegada é outra e a moçada conta com tenda eletrônica todas as noites.

A novidade deste ano no carnaval recifense é o retorno da praia de Boa Viagem ao roteiro do carnaval. Três pontos da orla contarão com orquestra de frevo, passistas e apresentações de grupos de afoxé, caboclinho e samba.

Na vizinha Olinda, onde a farra tem a presença da prefeitura em menor grau, o carnaval conta com os mesmos atrativos culturais, mas de uma maneira mais solta, numa festa feita pelos foliões em meio a ladeiras e ruas históricas coalhadas de gente. Entre as principais atrações, o encontro de bonecos gigantes na terça-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.