'Não acredito em falha humana', diz irmão de co-piloto de avião acidentado

Co-piloto estaria de folga e já tinha reclamado de problemas de decolagem na aeronave

Ângela Lacerda, O Estado de S. Paulo

13 Julho 2011 | 10h55

RECIFE - Jairo de Souza Gonçalves de Souza, irmão de Roberto de Souza, de 55 anos, co-piloto do bimotor que caiu no inicio da manhã desta quarta-feira, 13, no Recife, em Pernambuco, afirmou que não acredita que o acidente tenha sido causado por falha humana.

Segundo ele, Roberto era experiente e tinha mais de 2 mil horas de voo. "Não acredito em falha humana. Roberto tinha mais de 20 anos de profissão", declarou. De acordo com Jairo, o irmão havia comentado que a aeronave, um bimotor L-410, fabricado na República Tcheca, já apresentava problemas de decolagem. Uma equipe do país viria a Recife nos próximos meses para fazer revisões no avião.

 

O co-piloto estava de folga nesta quarta-feira, mas aceitou o pedido de um colega para trabalhar hoje. Ele trabalharia apenas no sábado. Todas as 16 pessoas a bordo morreram no acidente. A aeronave faria a rota Recife - Mossoró, no Rio Grande do Norte, com escala em Natal. De acordo com a Aeronáutica, após a decolagem o piloto informou à torre de controle que estava com problemas e que faria um pouso forçado na praia de Boa Viagem. Na tentativa, o avião caiu e pegou fogo.

 

A Aeronáutica disse que "iniciou as investigações para apurar os possíveis fatores que contribuíram para o acidente". O laudo ainda não tem prazo para ser concluído.

 

 

Texto atualizado às 16h.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.