'Não há esperança' de sobreviventes, diz Air France a familiares

Presidente da companhia aérea deu a notícia às famílias que aguardam informações no aeroporto em Paris

Cynthia Decloedt, da Agência Estado,

04 de junho de 2009 | 09h47

O presidente da Air France e o diretor-executivo da companhia aérea disseram em Paris às famílias que aguardam por notícias sobre familiares que estavam no voo AF 447 Rio-Paris, não haver esperanças de que qualquer um dos passageiros esteja vivo. O presidente da Air France, Jean-Cyril Spinetta, e o diretor-executivo da empresa, Pierre-Henri Gourgeon, encontraram-se com parentes dos passageiros do voo em um hotel próximo ao aeroporto Charles de Gaulle e disseram "não haver esperança de que haja sobreviventes", informou o porta-voz do grupo de apoio aos familiares, Guillaume Denoix de Saint-Marc. As informações são da Dow Jones.  

 

Veja também:

lista Todas as notícias sobre o Voo 447

lista Voo 447: Veja os nomes de todas as nacionalidades; são 102

lista Air France divulga lista de brasileiros no Voo 447

mais imagens Galeria de fotos: buscas do Voo 447

mais imagens Galeria de fotos: homenagem às vítimas

blog Blog: histórias de quem quase embarcou

especial Conheça o Airbus A330 desaparecido no trajeto Rio-Paris  

blog Acompanhe a cobertura pelo blog Tempo Real

especialCronologia das tragédias da aviação brasileira

especial Cronologia dos piores acidentes aéreos dos últimos dez anos

video Entenda a operação que localizou destroços

video TV Estadão: Especialista fala sobre o acidente

linkApenas 4 minutos da 1ª pane até a queda
linkAirbus voava em velocidade 'errada' e teria se 'desintegrado'

linkPiloto viu clarão na rota do Voo 447, informa jornal espanhol

 

A assessoria de comunicação da Air France divulgou na terça à noite a lista de passageiros, mas inclui apenas os nomes que foram autorizados pelas famílias. Foram divulgados 53 dos 58 brasileiros no voo.  Segundo a Air France, viajavam 61 franceses, 26 alemães, nove italianos, nove chineses, seis suíços,cinco ingleses, cinco libaneses, quatro húngaros, três eslovacos, três noruegueses, três irlandeses, dois americanos, dois espanhóis, dois marroquinos e dois poloneses. Havia também um cidadão de cada um dos seguintes países: África do Sul, Argentina, Áustria, Bélgica, Canadá, Croácia, Dinamarca, Islândia, Estônia, Gâmbia, Holanda, Filipinas, Romênia, Rússia, Suécia e Turquia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.