"Não queremos instabilidade, queremos a verdade", diz Bornhausen

O presidente do PFL, senador Jorge Bornhausen (SC), rebateu nesta terça-feira as acusações feitas na segunda pela coordenação da campanha à reeleição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de que a oposição estaria tentando desestabilizar o processo eleitoral e o País. "Nós queremos a verdade. Saber de onde veio o dinheiro (dossiê Vedoin). Eles cometeram crime eleitoral organizado e é nosso dever exigir comportamento adequado da Polícia Federal e do ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, no caso". O presidente do PPS, deputado Roberto Freire (PE), engrossou o coro ao avaliar que a PF está atrasando as investigações sobre o episódio. "A PF não pode se transformar em polícia política", disse Freire. Ele acrescentou que o ministro Thomaz Bastos tem tentado manipular as investigações para evitar prejuízo eleitoral à candidatura Lula.

Agencia Estado,

17 de outubro de 2006 | 14h58

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõeseleições 2006

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.