"Não vamos permitir volta do governo da privataria", diz Garcia

O coordenador da campanha do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Marco Aurélio Garcia, subiu nesta terça-feira o tom na disputa do segundo turno das eleições, ao afirmar que a campanha de Lula "não vai permitir a volta do governo da privataria", referindo-se ao candidato do PSDB, Geraldo Alckmin. Segundo ele, uma vitória de Alckmin seria um retrocesso em todas as áreas de governo, inclusive a econômica.Ao sair do Palácio da Alvorada, depois de participar de uma reunião com o presidente sobre a estratégia para o segundo turno, Marco Aurélio falou em uma "coalizão ampla" de forças políticas para apoiar o presidente Lula na campanha para a reeleição. "Uma coalizão ampla está apoiando o presidente, que não está preocupada só em elegê-lo, mas será chamada a governar com ele", afirmou. Ele disse ainda que nesse segundo turno será preciso melhorar a mobilização da campanha petista. "Queremos uma campanha mais expressiva do ponto de vista de coalizão de forças", afirmou. Para Garcia, não há preocupação da campanha em reconhecer as falhas no primeiro turno, mas sim em resolver os problemas do segundo turno. Afirmou nesse sentido que, se houve falhas no primeiro turno, também houve êxito, pois Lula recebeu mais votos do que em 2002. Segundo Garcia, serão convocados todos os vencedores nas eleições de domingo para uma reunião em Brasília, com data ainda a ser marcada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.