Nas areias de Santos, cães e gatos só no colo

E com coleira e focinheira, diz lei

, O Estadao de S.Paulo

21 de março de 2009 | 00h00

Uma lei de 1968 enfim deverá ser cumprida em Santos. Agora, cães e gatos que estiverem caminhando pela areia da praia serão recolhidos ao Centro de Zoonoses e seus donos terão de pagar taxas de até R$ 50,82 para a retirada dos animais. Além disso, a proibição, antes restrita aos cachorros, foi estendida aos gatos e abre uma exceção, que beneficiará os proprietários de animais de pequeno porte: quem quiser, poderá andar na areia com o bicho no colo, desde que ele esteja com coleira e focinheira.De autoria do vereador José Lascane (PSDB), o projeto de lei complementar que alterou o artigo 294 do Código de Posturas do município foi aprovado pelo prefeito João Paulo Tavares Papa (PMDB) nesta semana e a nova regra já entrou em vigor.O vereador afirma que o projeto nasceu da solicitação dos cidadãos que temiam ser atacados por cães grandes e se preocupavam com a proliferação de doenças. "O cão andava livremente e ninguém fazia nada. Não tem cabimento passear nas ruas e na praia com um animal feroz sem focinheira", afirmou Lascane, que tem dois cães.Proprietário de um yorkshire e de um vira-lata de pequeno porte, o músico Rafael Fernandes, de 26 anos, critica a proibição. "Nunca vi animal jogando garrafa pet ou sujando o mar, mas já cansei de ver fralda suja na praia. Quem polui são as pessoas, não os cães", diz.O contador aposentado Aniceto dos Santos Assunção, de 61 anos, respeita a legislação municipal, embora discorde dela. Para ele, nada vai mudar com a nova regra. "Não tem como andar com ela no colo", diz, apontando para a cadela Mel, uma weimaraner cinza de 7 anos. "Se eu pudesse, passearia pela areia."Diferentemente do aposentado, muitas pessoas desobedecem as leis referentes aos animais em Santos, o que resultou em 1.326 intervenções e advertências da Guarda Municipal em 2008. De acordo com o comandante da Guarda, Claudio Marques Trovão, quatro animais de grande porte foram recolhidos sem dono enquanto perambulavam pela areia no ano passado, e três neste ano. Ele alerta que o total de advertências inclui as ocorrências pela falta de coleira naqueles que passeiam pelo calçadão e do não recolhimento das fezes, também obrigatória por outra lei municipal. "Como nunca ninguém se negou a recolher as fezes quando foi advertido, nós nunca aplicamos a multa."Nos Estados Unidos, há algumas praias onde os animais podem correr e brincar na areia e nadar no mar. Porém, regras não faltam. Na Flórida, eles têm uma praia para eles na cidade de Júpiter, mas devem ser treinados para obedecer a comandos de voz e permanecer sempre próximo dos seus donos. Em Long Beach, na Califórnia, os cães têm uma área demarcada e podem ficar entre as 6 e as 18 horas, desde que não sejam agressivos e haja um adulto por cachorro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.