Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Nas redes, mulheres denunciam machismo cotidiano com hashtag

Publicações com #meuamigosecreto no Facebook e no Twitter trazem relatos de atitudes, posturas e discurso de amigos

Juliana Diógenes, O Estado de S. Paulo

25 Novembro 2015 | 09h58

SÃO PAULO - As redes sociais foram tomadas pela hashtag #MeuAmigoSecreto e #AmigoSecreto desde a noite desta segunda-feira, 23. Na campanha, mulheres fazem postagens relatando atitudes, posturas e discursos machistas dos amigos sem revelar nomes. 

A hashtag faz alusão à tradicional brincadeira de confraternizações de fim de ano, quando um amigo descreve características do outro antes de revelar a identidade e entregar o presente. 

A campanha mobilizou centenas de relatos de todo tipo no Facebook e no Twitter. Nesta terça-feira, 24, uma fanpage foi criada no Facebook para receber os relatos. Por exemplo, uma das usuárias postou: "#meuamigosecreto é politizado e tem discurso bonito até cutucarem seus privilégios porque daí ele acha tudo vitimismo". 

Outra usuária disse: "#meuamigosecreto fica olhando torto pra minha mãe no estádio de futebol quando ela xinga jogador igual a ele".

No Facebook, uma mulher relatou: "#meuamigosecreto não quer usar camisinha porque 'não dá para sentir nada'". Uma usuária compartilhou: "#meuamigosecreto diz que odeia gays, pois a bíblia condena, mas vive traindo a esposa".

A candidata à Presidência da República em 2014 pelo PSOL Luciana Genro aderiu à campanha nesta terça-feira, 24. "O #meuamigosecreto acha que 'em briga de marido e mulher não se mete a colher!'", esreveu no Twitter.

 
 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.